A Casa do Músico, associação civil sem fins lucrativos, formalizou-se como entidade no ano de 2012, e tem por escopo a preservação de nossa memória e cultura musical e a criação de um núcleo assistencial e educacional neste seguimento, de formato inovador, com mecanismos de proteção e valorização do músico em idade avançada, assim como de fomento ao ensino musical para crianças e jovens em risco social, com atenção especial a mulheres, nesta condição ou musicistas. Sendo um projeto de múltiplas facetas, a Casa do Músico atua no desenvolvimento de ações sociais e se rege por princípios norteadores que agregam o cultural ao assistencial, promovendo a democratização do acesso à música, numa verdadeira ação afirmativa.

Conselho Curador: Roberto Frejat, Alcione, Ivan Lins, Sandra de Sá, Wagner Tiso e Leo Gandelman.

Diretoria Executiva: Presidente – Teofilo P. Lima. Diretor Executivo – Léo Borges. Secretário – Flávio Oliveira. Conselho Fiscal – Maestro Leonardo Bruno, Célia Vaz e Marcelo Martins.

Sócio Fundador: Alcione, Célia Vaz, Flávio Oliveira, Fernando Pereira, Ivan Lins, Leo Gandelman, Leonardo Bruno, Leo Borges,  Marcio Malard, Marcelo Martins, Patricia Vilches, Paulo da Ghama, Roberto Frejat, Sandra de Sá, Teo Lima, Theo Zagrae e Wagner Tiso.

Sócio Participantes: Marco  Brito, Fernando Trocado, Edmar Moura, Thiago Pacheco, Tony Botelho, Sergio Assumção, Felipe Alves -Rick Marques, Sergio Perry, Claudio Serpa, Humberto Mirabelli, Mac Willian, Sergio Vieira, Rodrigo Villa, Dudú Fagundes e Nema Antunes.

Sócio Benemérito: Arquiteta – Marina Correia, Produtora e Gestão – Cyntia C Santos.

Planejamento Estratégico da organização:

MISSÃO

Ser uma organização sociocultural que atue na valorização do músico e sua obra, com foco nos profissionais em idade avançada, através de atividades educacionais, sociais e de integração entre gerações.

VISÃO

Ser uma organização de referência para outras iniciativas socioculturais, com o desdobramento de novos espaços de acolhimento e empoderamento do músico idoso. 

VALORES

  • Catalisação de talentos: ampliação do potencial criativo dos públicos, banco de dados para novas conexões, integração de gerações e oferta de ferramentas para a produção artística;
  • Qualidade de vida: promoção do bem-estar integral principalmente ao idoso, com coerência no uso de energia, no consumo inteligente, na oferta de alimentos saudáveis e atividades funcionais;
  • Transparência: ética nas ações e comunicação assertiva com todos os stakeholders – governo, públicos, patrocinadores e parceiros;
  • Colaboração afetiva: sensibilização da sociedade civil e classe empresarial sobre o as missões da organização, com colaborações fixas e pontuais de recursos financeiros, equipamentos e oferta de serviços diversos.

O público que se pretende atender e suas características principais:

  • Músicos profissionais em idade avançada, com necessidades assistenciais;
  • Músicos e estudantes de todas as gerações;
  • Espectadores para os eventos;
  • Produtores culturais;
  • Corporativo – locação de espaços.